Destaque

FEITO CÃO E GATO - É POSSÍVEL A CONVIVÊNCIA DESSES DOIS "INIMIGOS"?







Por muito tempo (e ainda tem pessoas que acreditam nisso), acreditava-se que uma convivências pacífica entre o cão e o gato era praticamente impossível. Lenda falsa! Apesar do instinto caçador, necessidade de marcação de território e estilos de vida opostos de ambos os animais, é possível fazer com que eles convivam em harmonia em um mesmo ambiente. Como? Com muita paciência, é claro.


Para você que está pensando em ter um cachorro num ambiente que já possui um gato e vice e versa, vamos dar algumas dicas de como tornar esse primeiro contato o melhor e mais correto possível, para que seus bichinhos se tornem companheiros e melhores amigos.


Quando os dois filhotes chegam juntos


Seria a melhor das maneiras de os dois animais se acostumarem com a presença um do outro, pois iriam descobrir juntos o novo ambiente. O cuidado maior é na alimentação e na higiene de cada um, feita sempre em locais separados. Também deve-se ficar de olho, por serem filhotes e na grande maioria com muita energia e curiosidade, para que cada um coma a sua devida comida (cachorro não pode comer comida de gato e nem gato de cachorro).


Quando o gato é o morador mais antigo


Como gatos gostam de se esconder quando um estranho aparece, deixe lugares na casa para que ele possa fazer isso enquanto não se familiariza com o cão. De forma natural, o gato irá se aproximar do cão, sentir seu cheiro e se adaptar à convivência.


Quando o cão é o morador mais antigo


Como o cão se relaciona pelo olfato, é importante que mantenha ele separado a princípio, para que um sinta o cheiro do outro até que eles se familiarizem e exista a total adaptação. O importante é sempre estar vigiando quando eles estiverem juntos para evitar qualquer desentendimento entre eles.


O espaço, a atenção e a paciência (muita mesmo)


Quanto mais amplo o ambiente que eles vão conviver, maior será a probabilidade dos novos amigos se sentirem à vontade com o outro. Caso o ambiente seja pequeno, poderá ocorrer algum desentendimento por ciúmes e sensação de que um está invadindo o espaço do outro. Você também terá de dividir a atenção igualmente entre eles, para que não ocorra ciúmes e brigas. Lembre-se que cachorros e gatos não são inimigos naturais, mas sim animais muito territorialistas.


Essa adaptação pode ser rápida, como também pode levar um tempo, pois tudo depende da personalidade e da idade do seu animal. Quanto mais velho, mais acostumado o animal está com o seu espaço e consequentemente mais difícil será para que ele se acostume a dividi-lo. Porém isto não significa que seja impossível a adaptação.


Dicas de procedimentos para a adaptação


1 Carinho: fique por alguns minutos fazendo carinho no gato. Pegue ele no colo, e sem trocar de roupa faça carinho no seu cão. Ele vai começar a farejar o novo cheiro e com isso irá se familiarizar;



2 Panos: Coloque um pano para o gato dormir e faça o mesmo com o cão, deixando esse pano por um ou dois dias. Depois inverta os panos, trocando o do cão pelo do gato e vice e versa. Isso irá fazer com que eles se acostumem com o cheiro do outro mesmo que sem querer.


3 Após utilizar esses dois métodos, apresente-os pessoalmente. No início eles ainda se estranharão um pouco, mas não desista. Caso você tenha mais de um cão, você deve apresentar o gato a um deles primeiramente após 2 ou 3 dias coloque mais um cão junto e assim por diante, até que todos sejam apresentados;


4 Caso o cão lata, rosne ou tente morder, puna imediatamente isso. O mesmo vale para o gato, caso ele tente arranhar. Mas punir não é bater! Chame a atenção, diga o nome do animal em alto e bom som, bata palma, diga "não".


E se nada disso der certo?


Se nenhuma das dicas citadas acima der certo, e mesmo assim você quiser que eles tenham uma boa convivência, não hesite em procurar ajuda. Consultar um médico veterinário ou especialista em comportamento animal pode ser uma boa ideia. O profissional pode analisar de perto o comportamento dos animais para dar melhores dicas.


Agora...um pouco da opinião da autora

Eu, como muitas outras pessoas, sempre achei que essa convivência de cães e gatos não era das mais fáceis. Até me ver morando em outra cidade, sozinha. Como apaixonada por animais e sabendo que melhor companhia não há, adotei uma cachorrinha, Nina.


Dois anos se passaram e apareceu o Chico. Em uma das minhas mudanças, fui morar numa casa com um quintal enorme, perfeito para eles. Porém, minha vizinha tinha uma gata da qual não cuidava, e eu como “doida” dos bichos, adotei ela também, a Mimi. E agora, como adaptar dois cachorros com uma gata, sendo que nenhum deles era filhote? Com paciência, muita, como jamais pensei que teria. Pesquisei em sites e vi essas dicas que escrevi ali em cima, fiz tudo como manda o figurino. E sim, deu certo! Mas é claro, a “doida” dos bichos não poderia parar por aí.


Eu nunca tive um gato, e me apaixonei pela Mimi e esse universo felino, então apareceu a Theodora na minha vida já cheia de animais. E como fiz com a Mimi, fiz a mesma coisa com a Theo. E, gente, não tem coisa mais fofa e gostosa do que ver eles brincarem. Se tornaram melhores amigos, os quatro! Hoje, Mimi e Theo não estão mais entre a gente (nó na garganta ao escrever), mas eu digo pra todos que me perguntam sobre como pode eu ter tido dois cachorros e dois gatos convivendo juntos e tão bem. É possível! é trabalhoso no começo, tem quer ter uma paciência de Jó, mas no final vale muitíssimo a pena!


Fontes: cachorrogato.com.br, mundodosanimais.pt, catlovers.com.br

Imagens: geracaopet.com.br, meudonoeobicho.com.br, acervo da autora

#gatosecães #convivência #adaptação #novoanimal

Enquete
Publicações recentes
Arquivo
Tags
Nenhum tag.

Adote um Ronrom © 2016

Site criado por mmkittens.com

  • Facebook Social Icon

Curta o Adote um Ronrom no Facebook

  • Instagram Social Icon

Siga o Adote um Ronrom no Instagram