Destaque

Doença renal em gatos: um problema que deve ser levado a sério


Magoo, nosso pequeno guerreiro

O Magoo foi um dos gatinhos mais especiais que temos no Adote Um Ronrom. Não que ele fosse melhor do que os outros, não é isso. O fato é que ele tinha uma força inspiradora, pois desde que foi resgatado, nunca desistiu.

Atualização: Magoo ficou internado por cinco dias, e, neste sábado (24/10) deixou nosso mundo, dando fim ao sofrimento causado pela doença. Nos meses em que viveu no Adote Um Ronrom, recebeu muito amor, aprendeu a receber carinho e a confiar em humanos. Ele foi adotado por toda a família Ronrom, na qual recebeu os cuidados necessários até os últimos dias de vida.

Além de não enxergar, ele era doente renal crônico - o que significa que nele os rins, responsáveis entre outras coisas pela filtragem do sangue e pela produção da urina, não funcionavam como os de um gato saúdável - e ele foi internado segunda-feira (19/10) para receber soro. O objetivo disso era manter o animal hidratado e auxiliar na manutenção dos processos básicos do organismo.

No último sábado, Magoo deixou de comer e de beber água - como os gatos que têm doença renal urinam com muita frequência, beber água é essencial para manter a saúde estabilizada, e portanto o Magoo ficou desidratado.

A creatinina, uma substância importante para indicar a saúde dos rins, está em 6. Quando ele fez o primeiro exame, este índice era 3, o que já era suficiente para indicar insuficiência renal - quanto mais alta a creatinina, maior a dificuldade dos rins em realizarem seu trabalho. O último exame do Magoo indicou que ele estava sofrendo uma crise aguda.