Destaque

Como lidar com o territorialismo dos gatos

Certamente você já ouviu falar que gatos são territorialistas. Eles realmente são, e quem convive com gatos e já presenciou disputas territoriais entre eles sabe o quanto a situação pode ser estressante. Para amenizar os comportamentos territorialistas dos gatos, é necessário entender as causas e saber como agir nessas situações.


Gatos são caçadores natos e, mais precisamente, caçadores solitários. Portanto, para sua sobrevivência necessitam de presas em abundância. A partir desses fatos, fica claro que os gatos precisam ter controle absoluto sobre o seu território, evitando assim que invasores sejam uma ameaça para as suas fontes de alimentação (caça). Desse modo, a disputa dos gatos por espaço se torna uma forma de garantir sua sobrevivência. Para marcar seu território os felinos geralmente arranham, urinam jatos verticais em superfícies e/ou atacam os demais gatos do grupo.


Com a chegada de um novo gato, o gato veterano pode sentir que os recursos dos quais ele necessita – caixa de areia, água etc – estão ameaçados e, a partir desse desconforto, iniciar uma briga. As brigas também podem surgir entre gatos que já convivem bem, como quando um deles vai ao veterinário e ao retornar para casa não é reconhecido pelo outro, por exemplo. Geralmente, filhotes são mais bem aceitos do que os adultos. Os machos não castrados costumam ser mais reativos a novos membros no grupo.


Alguns casos necessitam de um processo de aproximação – ou reaproximação – dos gatos, e para isso é necessário cuidado e paciência. Recomenda-se que inicialmente os dois sejam colocados em cômodos separados e que o cheiro do outro seja associado com um momento de prazer (a hora de comer), ou seja, deve-se passar um pano regularmente em cada um dos gatos e colocar junto com o pote de comida do outro. Aos poucos, eles devem se acostumar com o cheiro um do outro.


O próximo passo é iniciar a aproximação parcial colocando-os próximos, mas sem contato total. Pode ser em caixas de transportes colocadas próximas ou através de uma fresta na porta, por exemplo. Para avançar com a aproximação é necessário avaliar o nível de estresse dos gatos, observando os sinais de agressividade